QUEM SEGURA A MERCEDES DE…HAMILTON?

 por- Alexandre Vasconcellos (01/05/2016)

Fotos: GpUpdate – Sutton

   É claro que Rosberg vem numa sequência fantástica de atuações perfeitas, sem erros nas corridas e controlando com maestria os momentos difíceis, como treino classificatório, largadas, ultrapassagens sobre retardatários e liderar com muita categoria. Entretanto, não há como desvincular essa tranquilidade e firmeza da sequência de mal resultados causados por problemas no carro do companheiro de equipe, Lewis Hamilton.

    Em sã consciência, afirmar que os problemas no carro do bicampeão inglês são propositais seria leviano, mas que a gente fica com a pulga atrás da orelha, fica. Afinal, são 3 anos com poucas falhas e, nunca, nenhuma delas ocorreu somente em um dos carros; pior ainda, no mesmo carro em seguida. É isso que nos intriga, apenas isso. Seria o destino?…

Sochi-Rosberg 

    Rosberg vem atuando brilhantemente, com uma pilotagem limpa, firme e de forma até surpreendentemente tranquila. É isso que mais impressiona neste momento; ele sabia que se aproveitasse todas as chances que aparecessem, poderia pensar em derrotar o companheiro de equipe, que convenhamos, é mais rápido do que ele. Mas Rosberg está mostrando que pode sim, ser campeão; e a tarefa para Hamilton agora, ficou muito difícil, não impossível, mas muito difícil.

 Sochi-Vettel

    E o Vettel? Que coincidência infeliz ter outro acidente envolvendo Kvyat; a diferença é que em Shangai, na minha opinião, a culpa foi somente do próprio Vettel, nada tendo a ver sua reclamação contra o russo, afinal o que Vettel queria, que seus adversários ao verem uma oportunidade, esperassem que ele, Vettel sua majestade, decidisse o que fazer para que eles, adversários, decidissem em seguida? Isso seria demais, não? Assim, lá na China ele não tinha razão para reclamar de ninguém, a não ser dele mesmo. Mas aqui em Sochi…ai, ai, Kvyat! Quando se analisa a imagem de dentro do carro, logo se percebe que ele passara o ponto de freada e, por isso, deveria ter puxado o carro para a direita mais cedo, para evitar a batida, já que todos os carros quase pararam ao contornar a curva um. Ele não o fez e bateu em Vettel; os dois seguiram e aí, novamente outra batida; mas nesta não há como culpar Kvyat porque Vettel tirou o pé do acelerador repentinamente quando percebeu que estava com pneu furado, daí…

    Detalhe: o Vettel é tão fominha que tomou a moto do fiscal para ele pilotar ao invés do russo que estava lá só para isso…

    A prova teve uma bela briga envolvendo McLaren, Renault, Force Índia e Toro Rosso, todos com desempenho parecido, o que mostra que, depois dos carros dos grupos dianteiros, 1-Mercedes, 2-Ferrari e 3-RedBull/ Williams, a guerra está bem difícil. Para quem, como eu, é fã da McLaren e dos seus dois pilotos, Alonso e Button, é muito bom ver que a equipe vem, aos poucos, extraindo mais e mais do carro e do motor, deixando esperança para uma segunda metade de temporada mais competitiva para a multi-campeã equipe inglesa.

    Triste mesmo é a situação da Sauber, sem dinheiro, que está descendo ladeira, enquanto a Manor vem subindo de estágio. Como disse em colunas anteriores, a Sauber já é o pior carro do grid.

    Quando a Williams, o carro realmente não evoluiu entre o ano passado e este, então, temos que ver seus pilotos andando em velocidade cruzeiro é triste, mas…é o que tem para esse ano. Corrida sem erros para Bottas e Massa, mas sem emoção para nós, brasileiros, mal acostumados por Emerson, Piquet e Senna…ai que saudades que dá!

Sochi-Brasil 

    Outro detalhe que chamou a atenção é que, se em Shangai nenhum carro abandonou por problemas mecânicos que nesta prova, dois carros quebraram (Harianto e Verstappen).

   

    A próxima prova será em Barcelona, o circuito mais conhecido por todos na Fórmula 1 e não esperamos nenhuma mudança, Mercedes deverá dominar, seguida por Ferrari, Red Bull e Williams; nossa torcida será para que McLaren consiga evoluir mais um pouco e possamos vê-la na briga pelas posições mais a frente ainda.

Sochi-Alonso 

    Qual o segredo do Mercedes? Parece um conjunto, mas arriscaríamos dizer que o conjunto de tração do carro é fantástico: o bólido contorna as curvas sempre colado no chão e, ao sair delas, acelera muito rápido, permitindo aos pilotos usarem toda a potência do excelente motor alemão. Outro detalhe que nos chamou a atenção é ótima saída de curva da nova versão do motor Honda, que aos poucos, vai chegando ao nível dos outros motores; ainda falta velocidade final, mas já sai da curva como uma bala!!

 

 

 

Acompanhe

Publicidade