QUAL É O SEU MUNDO?

3

por- Michelle J. (15/04/2016)

Lembro-me de ver o Jeep Renegade pela primeira vez, em 2014, no Salão do Automóvel em Genebra, enquanto gravava novos episódios para o programa Oficina Motor, exibido no canal +Globosat. No Brasil, no mesmo ano, o estande da Jeep estava lotado, apresentando as diversas versões aos jornalistas. Assim como acontecia na Suíça, aqui todos os olhares eram para o aventureiro do grupo Fiat.

2

Recentemente, até em filme, o Jeep Renegade apareceu: Batman vs Superman: Dawn of Justice. Nos próximos meses, estarão nas ruas da Europa a versão Jeep Renegade Dawn of Justice, série especial que homenageia a estreia do SUV compacto.

jeep-fb-size_story_647_022416022052

Produzido em Goiana-PE, o SUV (Sport Utilitary Vehicle) compacto traz no pedigree a segurança. A versão Sport, sem opcionais, somente com os dois airbags obrigatórios, foi avaliada pelo Latin NCAP (Programa de Avaliação de Carros Novos para América Latina e o Caribe) e recebeu nota máxima, cinco estrelas para ocupantes adultos e crianças.

Jeep Renegade está disponível em três versões: Sport (4×2, câmbio manual, 1.8 flex / 4×2, câmbio automático 6 marchas, motor 1.8 flex / 4×4 câmbio automático 9 marchas, motor 2.0 turbodiesel), Longitude (4×2 câmbio automático 6 marchas, motor 1.8 flex / 4×4 automático 9 marchas, motor 2.0 turbodiesel) e Trailhawk (4×4 câmbio automático 9 marchas, motor 2.0 turbodiesel).

7

A versão avaliada é a Sport TurboDiesel, com 1.629kg, é o Renegade diesel mais leve. O peso não é sua maior vantagem! Mas em contrapartida, o propulsor entrega 170 cv a 3.750 rpm e 35,7 mkgf a 1.750 rpm, uma injeção direta Multijet (Bosh) e o incrível câmbio ZF de 9 marchas, com tração 4×4 e primeira marcha reduzida! Os pneus são 215/65 R16 e a suspensão causa inveja aos desenvolvedores dos travesseiros com espuma da Nasa! Fez a terrível estrada que enfrento para chegar à minha casa parecer um tapete mágico!

13

Segurança inclui: airbags frontais, freios ABS, EBD, BAS, redução eletrônica de capotamento (ERM), controle eletrônico de estabilidade (ESC), auxílio de partida em rampas (HSA), ISOFIX, sistema de alerta de frenagem rápida (RAB), controle oscilação trailer (TSC), telecomando com alarme, cinto traseiro central de três pontos, cintos dianteiros com ajuste de altura e terceiro apoio de cabeça traseiro. As rodas de 16 polegadas são de liga leve. E a versão avaliada, conta com a primeira marcha reduzida (4WD LOW), tração 4×4 permanente (4WD LOCK), sistema Selec-Terrain com quatro ajustes de terreno e Hill Descent Control (HDC).

Itens de série: ar-condicionado, direção elétrica, travas e vidros elétricos nas quatro portas, retrovisores externos elétricos, sistema de áudio premium com seis alto-falantes, bluetooth, USB e MP3, volante com ajustes de altura, profundidade e comandos dos sistemas de áudio e telefone, faróis de neblina, freio de estacionamento elétrico, lavador, limpador e desembaçador do vidro traseiro, luzes diurnas, maçanetas e retrovisores externos pretos, piloto automático com limitador de velocidade, sensor de estacionamento traseiro, apoio de braço frontal com porta-objetos e branco traseiro com encosto bipartido.

Durante os 10 dias com o SUV compacto, algumas características me chamaram a atenção. A suspensão é extremamente confortável, a empunhadura do volante somada à posição de guiar com diversas regulagens permitiu um ajuste perfeito ao meu corpo, parecendo uma segunda pele! Primordial para uma boa vida a bordo! Em alta velocidade parece um “tijolo” voador, e é estável! Por incrível que pareça e mais maluca que seja esta comparação, foi o que veio a minha cabeça na hora! “Como um tijolinho pode ser tão estável?”. Dava para sentir a rigidez do material do monobloco e até mesmo perceber que o carro é pesado, no entanto, deslocava-se com facilidade, sem esforço aparente. Parabéns aos projetistas e engenheiros! Surpreendeu…

IMG_9124IMG_9130

Nesta foto, fui buscar meus sobrinhos na escola e encaixei as cadeirinhas para ver se sobrava algum espaço. Sim, não foi muito, porém suficiente para a criançada. Não é a mesma sensação que os adultos têm quando sentam atrás. Tudo parece mais apertado e menos confortável. Sobre o porta-malas, creio que você já deva ter ouvido falar, mas o tamanho dele é suficiente para uma mala pequena ou talvez minha bolsa de mão! Portanto, se você for daquele que carrega a casa quando viaja, terá de comprar o assessório extra (bagageiro – vendido pela Mopar) para manter a harmonia familiar e de quebra dá um charme a mais ao simpático Jeep.

4

Outro ponto que chamou a minha atenção foi a posição do banco dianteiro do passageiro. O assento parece levemente posicionado à esquerda (olhando de dentro do Jeep – sentado no banco), fazendo com que a perna esquerda de quem vai ao lado, fique apoiada no console central, por vezes desgastando o material de acabamento do console. Creio que apenas a mudança do ângulo do banco resolveria esta diferença.

6

Em qualquer que seja a versão do Jeep Renegade, o que de fato convence em todas as situações é o design! O Jeep tem personalidade, é robusto e sua alma aventureira está estampada em seu corpo, além de desempenhar um excelente papel no life style de quem compra, traz um novo universo a ser explorado! Deve ser a mesma sensação que leva alguém a adquirir a versão flex, com o motor 1.8, sem a tração 4×4 e pouquíssima performance fora de estrada. Mas é um Jeep, certo? Afinal, ser identificado com algo que se acredita é gostoso e faz bem para a alma. Então, se o dinheiro não compra a versão diesel (o verdadeiro Jeep) que parte de R$ 99.900,00, a versão de entrada flex é oferecida por R$ 68.900,00. Dois mundos tão diferentes pertencendo ao mesmo universo de uma mesma marca, a Jeep!

Vídeo avaliação – Clique aqui!

 

Acompanhe

Publicidade