HAMILTON, VERSTAPPEN E…SÓ?

    Outra vitória firme de Lewis Hamilton, que caminha firmemente para acabar com o sonho de Rosberg de ser campeão mundial. O alemãozinho está cada vez menor perto da rapidez e da grandeza de seu companheiro de equipe.

    Outro que está sendo demolido pelo companheiro é Daniel Ricciardo, dono de uma extraordinária capacidade de ultrapassar em lugares difíceis e sempre sorridente num ambiente duro. Porém, depois da equipe errar com ele em 3 provas consecutivas, sua expressão facial não é mais a mesma; está mais sisudo, mais sério; para mim, essa seriedade se chama Max Verstappen, esse incrível e arrojadíssimo piloto holandês, que a cada prova mostra uma inacreditável semelhança com o começo de carreira dos grandes pilotos, como Senna, Piquet, para citar apenas dois deles.

    Hamilton marcou uma pole numa volta sob forte pressão – não poderia errar – e mostrou muita maturidade; na prova, foi sempre senhor do tempo, não tomou conhecimento dos adversários e venceu com autoridade.

    Verstappen surpreendeu ao superar Rosberg por fora, ou melhor, ao humilhá-lo numa ultrapassagem quase impossível, mas como essa palavra não existe para grandes talentos, lá foi ele na entrada da sequência de “esses” composta pela Maggots, Becketts e Chapel; superou o alemão e partiu para cima de Hamilton, diminuindo a diferença até sair da pista na Abbey (aliás, quem não saiu da pista pelo menos 1 vez ali?). Que pilotagem sensacional esse holandês voador!!!

 

    Sobre os demais, apenas confirmação do que já se sabia…

  • na Ferrari, quando não é o equipamento ou equipe, são seus pilotos que erram, como nesta prova; Seb, irreconhecível essa temporada, e Kimi estavam incríveis, só que fora da pista…saíram mais de uma vez do traçado; assim não!!
  • Force Índia já parece melhor do que a Williams, falta cuidar melhor das estratégias nas corridas para, quem sabe, superarem de vez a adversária mais antiga
  • Mclaren? Outra mostra de como esse chassi é estável; o motor melhorou bastante, permitindo que Button e Alonso até conseguissem ultrapassar e evitar algumas ultrapassagens. Logo, assim que esse Honda melhorar a curva de torque médio, acredito que brigarão com Red Bull pela caça as Mercedes
  • Williams…que horrível! Os dois pilotos sofreram demais ao longo do final de semana e, justamente quando imaginei que as chances de Massinha permanecer na equipe fossem zero, Claire diz para a imprensa que ele é a opção no 1 da equipe…vai entender, pois sua saída do time era dada como certa; agora, parece que não mais. Bem, a chamada temporada das fofocas é assim mesmo, hoje vale, amanhã não vale mais, lembrando falas de políticos brasileiros

 

SAFEYT CAR, PARA QUEM?

    Eu e alguns milhões de fanáticos por corridas, queríamos entender por que raios se põe uma safety-car por tantas voltas num começo de prova? Para que? Ah, diria você, por questões de segurança, é claro! Está bem, isso eu sei; mas bastavam 2 voltas, apenas 2 voltas e soltar as feras para a batalha; aguentar safety-car por mais de 2 voltas, por favor, não dá não!

    Além disso, aquele safety-car virtual foi colocado porque as condições lembraram aquela do acidente que vitimou Julien Bianchi, por isso pode ter sido correta. No entanto, ainda acredito que o melhor teria sido apenas bandeira amarela acionada 2 curvas antes da escapada do Wehrlein até a curva seguinte; isso resolveria o problema e daria chance àqueles que haviam parado para troca de pneus antes dos primeiros, para se aproximarem dos mesmos, o que não ocorreu. Entretando, devo reconhecer que o seguro morre de velho…

 

    Agora vamos para Hungaroring, palco de grandes exibições brasileiras. Piquet e Senna dominaram os primeiros anos naquela pista; local onde Piquet fez aquela que é considerada a mais sensacional ultrapassagem da história da Fórmula 1, em 1986 na curva 1 sobre Ayrton Senna. Se você nunca viu, vá ao youtube e procure GP Hungria e assista, é de arrepiar!!!

    Ah, já ia esquecendo: cadê a punição a Mercedes pelas instruções dadas a Rosberg????

Acompanhe

Publicidade